Como não ter medo de ir ao dentista

Dentistas

Estima-se que 80% das pessoas têm medo de ir ao dentista, sendo o check-up dentário anual vivido com muita ansiedade – antes e durante a consulta! Por outro lado, existem também muitas pessoas que simplesmente não vão ao dentista devido ao medo e ao stress que essa consulta lhes provoca. Não deixe que as fobias associadas ao dentista prejudiquem a sua saúde oral – aprenda a lidar com isso…  os seus dentes agradecem!

Porquê o medo do dentista?

Existem inúmeras razões pelas quais crianças e adultos têm medo de ir ao dentista e algumas das mais populares são as seguintes:

  • Não gostam do seu dentista, mais precisamente da forma como trabalha.
  • Tiveram já más experiências em clínicas dentárias.
  • Não suportam o ruído dos equipamentos dentários.
  • Não suportam a iluminação direta do consultório.
  • Não gostam que lhe mexam na boca/dentes.
  • Têm dificuldade em manter a boca aberta durante muito tempo.
  • Têm dentes/gengivas sensíveis e sentem muita dor durante a consulta.
  • O medo de engolir algo que não devem.
  • O medo de se engasgar ou de não conseguir respirar normalmente.
  • Têm receio de descobrir algum problema e ter de fazer muitos tratamentos seguidos.
  • Têm receio de ser necessário arrancar dentes.
  • Têm receio de terem de usar aparelho.
  • Não suportam o facto de não conseguirem controlar a saliva durante os tratamentos dentários.
  • Não suportam o sabor a sangue que pode ficar na boca durante uma consulta.
  • Não gostam da sensação pós-limpeza dentária que fica na boca e nos dentes.

Como não ter medo de ir ao dentista?

Uma consulta dentária anual é fundamental para assegurar a saúde e higiene oral e, mesmo que tenha medo de ir ao dentista, esta não deve ser descurada. De forma a tornar a experiência dentária mais agradável, existem várias coisas que pode fazer e/ou alterar. Saiba como vencer esse medo de uma vez por todas:

  • Por vezes marcar a consulta de dentista com muita antecedência deixa-nos com demasiado tempo para sofrer por antecipação e, em alguns casos, até desmarcar a consulta. Experimente marcar a consulta de um dia para o outro, se possível, e aí não terá muito tempo para pensar no que aí vem.
  • Marque a consulta numa altura em que esteja com tempo e não stressado porque tem de voltar a correr para o escritório – a ansiedade extra não vai ajudar em nada.
  • Como é muito difícil os pacientes falarem durante uma consulta dentária, não podem fazer perguntas sobre o que está a acontecer e o que vai acontecer a seguir. Se esta é uma das suas grandes preocupações e, simultaneamente, uma fobia, fale com o médico antes de iniciar o tratamento. O dentista pode pedir à sua assistente para ir explicando todo o procedimento, por exemplo. Se tiver algum receio relativamente ao tratamento, manifeste-o ao dentista antes de ele iniciar o seu trabalho – pode até adaptar ou alterar algum passo para tornar a consulta mais agradável para si.
  • Muitas pessoas não suportam o barulho dos equipamentos dentários, que são a sua maior fonte de ansiedade. Contorne essa situação ao levar o seu iPod ou MP3 para a consulta e aproveite para ouvir música que o acalme ou distraia durante o tratamento. Muitas clínicas dentárias já providenciam música ambiente ou até mesmo uma televisão para que os pacientes se possam distrair durante as consultas. Pode ser uma boa ideia procurar um consultório com estas características.
  • Existem pessoas que se sentem intimidadas pelas luzes que incidem diretamente sobre o seu rosto enquanto estão inclinadas nas cadeiras do consultório. Evite essa sensação ao levar um par de óculos de sol para usar durante a consulta – para além de bloquear a intensidade da luz, pode ajudá-lo a acalmar-se, fechar mesmo os olhos, abstrair-se do tratamento e até descansar.
  • No final da consulta, faça questão de perguntar o que deve fazer a seguir, ou seja, que cuidados são necessários. Se lhe fizer sentir melhor, pergunte ao dentista se existe algum número de emergência para o qual possa ligar no caso de ter dúvidas ou se surgir alguma anomalia na recuperação.
  • Escolha um dentista com o qual se sente realmente confortável, que seja profissional, mas também paciente e atencioso. Se tiver medo de ir ao dentista, talvez esteja na hora de mudar de clínica dentária.
A sua votação: 
Sem votos