Como tratar do espaço entre dentes: diastema

O espaço ou falha que existe entre dentes pode ser inestético ou causar problemas. Saiba porque surge e como pode tratar do espaço a mais entre os seus dentes.

O que é um diastema

Um diastema é um espaço ou falha que existe entre dois dentes. O local onde um diastema surge com maior frequência é nos dois dentes frontais da arcada superior, no entanto, pode aparecer entre outros dois dentes da boca. Trata-se de um desencontro entre o tamanho dos ossos dos maxilares e o tamanho dos dentes e isso pode provocar um espaço extra entre os dentes ou o amontoar deles. Se os dentes forem muito pequenos em relação ao osso maxilar, isso é sinal de que, porventura, aparecerão espaços entre eles, os denominados diastemas. Por outro lado, se os dentes são grandes demais em relação ao maxilar, eles correm o risco de ficarem apinhados uns nos outros.

As razões que explicam o aparecimento de um diastema

O aparecimento de um diastema pode ser explicado por várias razões diferentes. Das principais, destacam-se as seguintes:

A queda dos dentes de leite: muitas crianças têm diastema como resultado da queda dos dentes de leite, mas, na maior parte dos casos, os espaços fecham-se quando os dentes permanentes começam a crescer.

A falta de dentes e os dentes desproporcionais: por vezes existem dentes que estão em falta ou são assimétricos e isso pode provocar o desenvolvimento de um ligeiro espaço entre os dentes restantes. Esta situação acontece com mais frequência com a falta ou má formação dos incisivos laterais superiores que fazem com que os incisivos centrais superiores desenvolvam um ligeiro espaço entre eles.

Anormalidade do freio labial: O freio labial é o pedaço de tecido que se estende desde o interior do lábio superior até às gengivas e que está acima dos dois dentes frontais. Em algumas situações, o freio labial continua a crescer e passa entre os dois incisivos centrais superiores, o que bloqueia o fechar natural do espaço entre estes dois dentes.

O chuchar do polegar: os maus hábitos também são responsáveis pela formação de espaços entre os dentes. Por exemplo, o chuchar do polegar tem tendência a puxar os dentes frontais para a frente e isso dá origem a falhas e espaços entre eles.

A pressão da língua: os espaços ou falhas entre os dentes podem ser desenvolvidos através de um reflexo incorreto no ato de engolir. Para a maioria das pessoas, a língua pressiona a parte de cima da boca (palato) durante o ato de engolir alimentos ou saliva. No entanto, algumas pessoas desenvolvem um reflexo diferente, conhecido como o empurrão da língua. Ao engolir, a língua é pressionada contra os dentes frontais e com o passar do tempo a pressão vai fazer com que os dentes frontais sejam empurrados para a frente. Este ato pode causar espaços entre dentes.

As doenças gengivais: a gengivite e a periodontite são infeções bacterianas que resultam na perda do osso que suporta os dentes. Nas pessoas que perderam muito osso, os dentes têm tendência a ficarem fracos e soltos e isso faz com que apareçam falhas entre eles.

Como diagnosticar um diastema

Pode reparar que tem uma falha ou espaço entre dentes quando estiver a escová-los ou a utilizar o fio dental. Porém, o seu dentista também pode fazer essa observação durante um exame ou limpeza dentária.

Como prevenir a formação de um diastema

A formação de um diastema não pode, na maioria das vezes, ser prevenida, pois necessita da ajuda de um tratamento adequado. Em todo o caso, é fundamental escovar regularmente os dentes e utilizar corretamente o fio dental. Ao fazê-lo estará a prevenir o aparecimento de doenças gengivais e a subsequente perda de osso. Por outro lado, as pessoas que têm o hábito de empurrar os dentes com a língua devem reaprender a engolir ao pressionar a língua contra o palato. Ao quebrar o hábito antigo, poderá prevenir o aparecimento de espaços entre os dentes. Deve ter em atenção que uma criança com 7 anos de idade deve consultar um ortodontista para ver se os seus dentes estão a crescer corretamente.

Como tratar do espaço entre dentes

Um diastema pode fazer parte de um conjunto de problemas que requerem um tratamento ortodôntico, como por exemplo, quando a falha é causada por um desencontro entre os dentes permanentes e o tamanho do maxilar. Contudo, um diastema também pode ser provocado pelo empurrar da língua, maus hábitos ou doenças gengivais. Em ambas as situações, as pessoas recorrerem à ajuda de tratamentos específicos para recuperarem novamente o seu sorriso. Dos tratamentos principais, evidenciam-se os seguintes:

A instalação de aparelhos dentários: os aparelhos dentários são colocados para corrigir o espaço existente entre dentes. Na maioria das vezes, independentemente do local onde se situe o diastema, é necessário utilizar um conjunto de aparelhos ortodônticos – nos dentes superiores e inferiores. Isto acontece, porque o movimentar de um dente pode afetar a boca inteira.

A utilização de coroas, facetas estéticas e restaurações adesivas: se os incisivos são muito pequenos, o dentista pode sugerir que os esconda e, nesse sentido, a utilização de coroas, facetas estéticas e restaurações adesivas oferecem os melhores resultados.

A colocação de implantes dentários ou pontes: se tem um espaço por causa da falha de dentes, poderá necessitar de uma reparação dentária mais extensiva e isso poderá incluir a colocação de implantes dentários ou pontes.

A cirurgia oral: se o freio labial está a causar a falha, o freio pode ser reduzido através de cirurgia oral, chamada de frenectomia. Se a frenectomia for realizada numa criança jovem, o espaço poderá fechar por si próprio. Se, por outro lado, é realizada em crianças mais velhas e em adultos, o espaço poderá necessitar de aparelhos dentários para fechar.

Dessa forma, se tem um espaço entre os seus dentes ou se vê algum na boca do seu filho/a, deve falar imediatamente com o seu dentista. Ele vai determinar qual é a razão para a existência desse mesmo espaço e poderá sugerir-lhe um bom ortodontista, um especialista no tratamento de dentes com aparelhos dentários ou periodontista, um especialista no tratamento de doenças gengivais.

A sua votação: 
Average: 3.9 (8 votos)